sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Programação oficial do Carnaval de Apodi 2017



Sexta: 
Farra de Playboy (Às 23h - Trio Elétrico Parado na Praça Central)

Sábado: 
Dan Ventura e os Meninos (18h - Arrastão no Trio Elétrico) 
Dário Villa (23h - Palco) 
Danilo Nikson (01h - Trio Parado) 
Flávio Pisada Quente (02h - Palco Principal)

Domingo
João Neto Pegadão (18h Arrastão no Trio Elétrico) 
Dário Villa (23h - Palco) 
Danilo Nikson (01h - Trio Parado) 
É o Tchan do Brasil (02h - Palco Principal)

Segunda
Aline & David (ex-Bakulejo) (18h Arrastão no Trio Elétrico) 
Som e Balanço (23h - Palco) 
Dário Villa (01h - Trio Parado) 
Jonas Esticado (02h - Palco Principal)

Terça
Municipal Santos (18h Arrastão no Trio Elétrico) 
Farra de Playboy (23h - Palco) 
Danilo Nikson (01h - Trio Parado) 
João Neto Pegadão (02h - Palco Principal)
Saia Elétrica (04h - Arrastão de Encerramento no Trio Elétrico)


Trio Oxigênio é a maquina que estará responsável para puxar o bloco nas avenidas e ruas de Apodi. Um dos melhores trios elétricos do nordeste e referência em qualidade sonora digital, uma verdadeira "pancada de som" que estará fazendo a alegria dos foliões no Carnaval de Todos em Apodi/RN.




Informações oficiais: Secretaria do Turismo e Prefeitura de Apodi - Cidade de Todos!

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Quadrilha assalta carro-forte na BR 405 entre Apodi e Mossoró


Um carro forte, foi cercado por pelos menos oito elementos em dois carros, todos fortemente armados, no local entraram em confronto com seguranças do carro forte

O fato foi registrado pela policia  por volta das 14:30h desta sexta feira 17 fevereiro 2017, na altura do Sítio Mulungusinho na BR 405 estrada que liga Mossoró à Apodi-RN. 

Ainda segundo informações colhida a placa de um dos carros utilizados na ação é de Catolé do Rocha-PB. Várias viaturas da polícia militar de Mossoró estão indo em apoio a ocorrência.

Ainda não se sabe se foi levado algo de valor do carro forte. Segundo a polícia militar, três carros foram usados na ação, e uma Pajero foi encontrada em chamas próximo ao Jucuri.

Uma Parati preta pode ter participado na ação. Um vigilante foi socorrido para o HRTM, ninguém morreu na ação criminosa. 

Mais fotos: 




Fotos: Rede News 360.
Informações: CMN News


Presos ganham dinheiro e reduzem pena com produção de vassouras em Apodi

'Varrendo a violência, empregando a paz' funciona no CDP de Apodi, no RN. Fábrica custou R$ 1 mil; oito presos trabalham no local.

Fernanda ZauliDo G1 RN
Presos trabalham na produção de vassouras no CDP de Apodi e reduzem pena (Foto: Márcio Moraes)Presos trabalham na produção de vassouras no CDP de Apodi e reduzem pena (Foto: Márcio Moraes)
Ao invés do ócio, o trabalho. Ao invés do isolamento, o convívio com outros presos. É dessa forma que o projeto 'Varrendo a violência, empregando a paz' pretende ressocializar presos no Centro de Detenção Provisória de Apodi, na região Oeste do Rio Grande do Norte. A unidade instalou uma fábrica de vassouras para os presos trabalharem. Além da ocupação, os detentos ganham parte do dinheiro da venda das vassouras e a remissão de um dia da pena para cada três dias trabalhados.
"Estou trabalhando, ajudo minha família e ainda reduzo minha pena. É muito melhor do que passar o dia todo dentro de uma cela sem fazer nada", diz Antônio Benildo de Oliveira, de 44 anos, preso por homicídio.
Para cada três dias de trabalho, presos diminuem um dia da pena (Foto: Márcio Moraes)Para cada três dias de trabalho, presos diminuem um dia da pena (Foto: Márcio Moraes)
A instalação da fábrica custou R$ 700 e a compra do material para a produção das vassouras mais R$ 300. Ao todo, oito presos trabalham no projeto: seis do regime fechado produzem as vassouras com garrafas pet e outros dois detentos do regime semiaberto vendem o produto nas ruas da cidade.
"Queremos ampliar o projeto, comprar outra máquina para que mais presos possam trabalhar. O trabalho faz bem a eles, eles se sentem úteis. O gasto que a gente teve é tão pequeno e o projeto tem um alcance tão com a ressocialização desses presos", disse Márcio Moraes, diretor do CDP de Apodi.
A unidade prisional tem capacidade para 80 detentos e atualmente tem 60 presos do regime fechado e 10 do semiaberto. "Não temos registro de rebeliões e fugas aqui no CDP", diz Moraes.
Além da fábrica de vassouras, os presos da unidade trabalham em obras, limpeza de escolas e hospitais, e na manutenção do próprio CDP. Foram eles que construíram o centro cirúrgico da maternidade Claudina Pinto, principal unidade de atendimento á saúde da mulher do município de Apodi.
Antônio Benildo de Oliveira foi um dos que atuou na obra da maternidade. Ele já cumpriu 3 anos e 3 meses e tem mais de 300 dias de remissão de pena por dias trabalhados. "É muito melhor a pessoa estar trabalhando do que com a cabeça vazia. Se em todo canto fosse assim, não tinha essas rebeliões, essas desgraças todas que a gente vê nos presídios", disse.
CDP construído pelos presos

O trabalho é uma constante dentro do CDP de Apodi. Em 2015 foi inaugurado o novo prédio do CDP que foi construído pelos própios presos. A obra custou R$ 150 mil, dos quais R$ 110 mil foram pagos pela Comarca de Apodi por meio da arrecadação de penas pecuniárias - multas aplicadas nos processos. O Ministério Público entrou com o projeto arquitetônico e os demais apoiadores contribuíram com cimento, tubos de aço, tijolos, telhas, equipamentos e uma cisterna com capacidade para 16 mil litros. A mão-de-obra incluiu dez presos, que trabalharam como pedreiros e serventes de pedreiro.
Presos ajudaram a construir o Centro de Detenção de Apodi, no RN (Foto: Felipe Gibson/G1)Presos ajudaram a construir o Centro de Detenção de Apodi, no RN (Foto: Felipe Gibson/G1)

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Jovem colide moto com poste e morre no local em frente a UERN em Mossoró


Um grave acidente de trânisto com uma vítima fatal foi registrado por volta das 05h00min deste domingo 12 de fevereiro de 2017, na Avenida Professor Antônio Campos no bairro Costa e Silva em frente a Universidade Estadual (UERN) em Mossoró no Oeste do RN.

Um jovem identificado como Lauro Augusto Rique da Escóssia Júnior de 23 anos de idade, residente na Rua Capitão Zêta na Ilha de Santa Luzia, trafegava em uma moto de cor preta e placa OGG - 8520 e colidiu o veículo em um poste de iluminação do canteiro central da Avenida e morreu na hora.

Uma ambulância do SAMU ainda foi acionada para socorrer a vitima, mas nada pode fazer uma vez que com a chegada da equipe da Alfa no local o jovem já estava em óbito.

A Polícia Rodoviária Estadual realizou os trabalhos de praxe e foi informada por populares, que a vítima estava bebendo no bar da Torre localizado no Alto da Pelonha e quando retornava para casa, se envolveu no acidente.

Segundo uma irmã da vítima, que esteve no local, Lauro Augusto Rique da Escóssia Júnior era solteiro e moreva com os pais no bairro Ilha de Santa Luzia em Mossoró.

Uma equipe do Instituto Técnico-Cietífico de Perícia (ITEP) sob o comando do perito criminal Jáder Viana foi ao local e depois de realizar os trabalhos de perícia, removeu o corpo para a sede do órgão, onde será submetido a exame de necropsia e depois liberado para a família providenciar o sepultamento.

Fonte e mais fotos: http://fimdalinha.com.br/site/post/5465 (Fim da Linha)

Dupla assalta alunos em sala de aula na UERN

Uma dupla promoveu um arrastão dentro de uma sala de aula do curso de Física da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte. A ação aconteceu por volta das 12h30, no bloco da Faculdade de Ciências Exatas e Naturais (FANAT).

"Assaltaram a turma que tinha mais gente ", afirmou ao MOSSORÓ HOJE uma das vítimas do assalto, Vitória Cris, acrescentando que no bloco havia, no momento da ocorrência, duas turmas com alunos. Ela teve o celular roubado, e conseguiu esconder a carteira.

Os bandidos levaram pertences dos alunos, como celulares, e fugiram na sequência. Após o ocorrido, um grupo de estudante se reuniu com o diretor da FANAT, Lima Júnior, que colocou como sugestão para evitar futuros assaltos trancar as portas das salas de aula. ASSISTA:
 


Ainda segundo o diretor da Fanat, esta é a segunda vez que o bloco é alvo de assalto. "Na primeira vez foi um assalto a uma pessoa. Dessa vez eles foram bem ousados, entraram na sala de aula, levaram alguns celulares. Estavam armados e rapidamente se evadiram. Nós conversamos aqui com os alunos e vamos encaminhar as sugestões para a gestão da universidade", frisou.

Lima também explicou que a Fanat é uma das poucas faculdades da Uern que possui horário de expediente alongado, com aulas indo até às 12h20, por exemplo. "Vamos tentar estabelecer estratégias junto à empresa de segurança, com uma mudança na logística de funcionamento, talvez com o deslocamento de seguranças para a FANAT, vamos fazer também boletim de ocorrência, para que as providências sejam tomadas", acrescenta o professor.

Entre as medidas que deverão ser adotadas a partir de agora, além do fechamento das portas das salas de aula, está a criação de um aplicativo que permita uma comunicação mais ágil entre estudantes, professores e a equipe de seguranças da Uern, objetivando identificar possíveis ameaças.
“A gente sabe que somente o ato de fechar a porta não garante segurança. O que nós precisamos de fato é melhoria de segurança de maneira geral. Vamos tentar trabalhar de alguma forma junto a autoridades para que essa segurança seja garantida”, relata Lima Júnior.

Por fim, o diretor da Fanat afirma que a ausência de um muro da Uern não é o fator principal para a entrada de assaltantes. “Não diria que o muro resolveria. Há casos de assaltos aqui na Ufersa, e ela é toda murada, mesmo assim eles encontram uma forma de entrar. A universidade é pública, com equipamentos como Restaurante Popular, Biblioteca, o próprio Centro de Convivência. A barreira física não impede que bandidos entrem”, conclui.

O assalto

Em vídeo, a estudante Vitória Cris relata como o assalto aconteceu:
 

Fonte: Mossoró Hoje.